17 de fev de 2013

People.

             261259_500795906628765_1950126639_n_large

Pessoas caminham na rua e o relógio da igreja marca meia noite.
Pessoas conversam e não conseguem se entender.
Pessoas escutam mas não ouvem.
Pessoas caminhas mas não conseguem sentir os pingos de chuva que escorre pela chão.
Pessoas machucam as pessoas e nem percebem o sangue que desce pelas narinas.
Pessoas apunhalam-se sem espadas visíveis, palavras cortando um coração em pedaços.
Pessoas andam na rua e não conseguem ver os rostos que estão por perto.
Pessoas esqueceram de dizer boa noite.
Pessoas dizem eu te amo, mas não demonstram.
Pessoas comem palavras bonitas mas vomitam asquerosos insultos.
Pessoas dançam sem dançar e cantam sem sentir a música fluir e chegar a atmosfera.
Pessoas choram e são consoladas.
Pessoas se alegram e são ignoradas.
Pessoas usam fantasias mas não é carnaval.
Pessoas se calam e o silêncio se materializa na lividez das faces que sorriem sem alegria.
Pessoas machucam as pessoas e não sabem que seu maior adversário poderia deixar de ser apenas um obstáculo.

3 comentários:

Vitória disse...

Que lindo, Tammy! E completamente realista, na verdade. A maioria das pessoas vive exatamente assim, como robôs.
Beijos,
http://menina-do-sol.blogspot.com.br/

PauloSilva disse...

Parabéns pela criatividade e pela profundeza com que colocou as palavras neste post!
Pessoas que não vivem, apenas copiam os hábitos já vividos. Habitam nos ponteiros dos relógios.
Um grande abraço.

Tina Bau Couto disse...

Pessoas
Blogs
Poemas
Histórias
...
Vou te ler mais por aqui
Me leia e seja bem vinda por lá
:)
E que nossa vida seja bem vivida
\o/
Abraço, prazer e desejo de uma feliz semana.