29 de jan de 2013

Super Indico: As Palavras

                      
As Palavras - The Words
Lançamento: 23 de novembro de 2012
Dirigido por : Brien Klugman, Lee Sternthal
Com: Brandley Cooper, Zoe Saldana, Olivia Wilde
Gênero: Drama, Romance, Suspense
Nacionalidade: EUA
Sinopse: Rory Jansen (Bradley Cooper) é casado com Dora (Zoe Saldana) e trabalha em uma editora de livros. Ele sonha em publicar seu próprio livro, mas a cada nova tentativa se convence mais de que não é capaz de escrever algo realmente bom. Um dia, em uma pequena loja de antiguidades, ele encontra uma pasta com várias folhas amareladas. Rory começa a ler e logo não consegue tirar a história da cabeça. Logo ele resolve transcrevê-la para o computador, palavra por palavra, e a apresenta como se fosse seu livro. O texto é publicado e Rory se torna um sucesso de vendas. Entretanto, tudo muda quando ele conhece um senhor (Jeremy Irons) que lhe conta a verdade por trás do texto encontrado.( Fonte)

  
__________________________________***

Esse filme é um encanto e realmente surpreende pela originalidade do enredo. A começar pelo casal principal que, particularmente, me cativaram desde a capa do filme até as cenas magníficas na pia da cozinha da casa deles. Brandley Cooper está apaixonante e belíssimo, como sempre, mas com uma sensibilidade que não vi nos seus outros filmes. E a Zoe está na sua melhor forma, e atuou como nunca vi antes, estupenda! Particularidades a parte, o filme começa com um grande escritor lendo alguns capítulos do seu livro " The Words" que é a história de Rory e Dora. E nossa, é uma história apaixonante. Quando comecei a assistir me veio a ideia de indicar aqui porque é um filme sobre as palavras, sobre alguém que escreve e que tenta de todas as formas publicar seu livro. Um filme que consegue perpassar o senso comum e apresentar um enredo mais verossímil, mais empolgante que os meros clichês estadounidenses. É como um belo quebra cabeças que nos faz pensar em como as palavras e as nossas decisões podem mudar tudo e como podemos conviver com a mentira. Acho que uma das partes que mais me comoveu foi perceber como é difícil você se entregar completamente ao que está escrevendo. Conseguir se perceber no livro que você escreveu ou o preço que se paga pelo sucesso. Como uma vida inteira pode ser destruída pela impulsividade e desespero momentâneo. As palavras é um filme que narra as histórias por trás das histórias. E nos traz a mente qual a essencialidade das narrativas que lemos e até mesmo criamos. O que há de verdadeiro no que escrevemos? Onde está a nossa marca nas entrelinhas de cada verso escrito? Vale a pena abrir mão de um amor pelo amor as palavras? Será que estamos amando mais a escrita do que as pessoas que nos inspiram a escrevê-las? Bem, é um filme que nos faz pensar. Com uma fotografia distinta que retrata cada época com sua doçura e singularidade. Um elenco realmente de peso( Jeremy Irons, está sublime) e um roteiro que nos faz dialogar com o nosso eu mais intrínseco. Como escritores de nossas próprias histórias essa película nos faz refletir em como surgiu o nosso interesse pela leitura e pelas palavras, em como elas influenciam nossas escolhas e qual o devido lugar que elas deveriam ocupar em nossa vida. Eu realmente indico esse filme e espero que vocês apreciem toda a docilidade e surpresas que ele oferece. Ah, e o desfecho é ainda mais inusitado e empolgante. Suspirei!

Nenhum comentário: