22 de nov de 2011

O ano 11.

Desde o princípio dos dias que sucederam o ano que se findou,eu sabia em meu coração que tudo seria avassalador.Mesmo que em meus pensamentos eu houvesse pintado milimetricamente os passos que daria,nada saiu como especulado.Tudo foi uma revolução interior que modificou minha vida para sempre.Os passos certos ou os errados,ambos cooperaram para uma aprendizagem satisfatória da minha realidade.Mesmo que os pesares do princípio tenham deixado-me realmente aflita,serviram-me para crescer em meio aos tremores reais da existência.Essa é a grande metáfora,viver.Dizemos que vivemos para camuflar uma angústia interna?ou vegetamos como frios seres céticos acerca de sua própria felicidade?as duas hipóteses não satisfizeram minha aflição.Perdurei longos meses para descobrir-me nesse mundo.Porque somos tantos grãos de areias que não sabemos se somos apenas pó ou parte do praia.Todo esse flagelo talvez seja explicado pela total falta de espaço que os outros nos impõe.Decerto,esse tempo é curto,mas um pouco de silêncio ajuda a enfraquecer os gritos internos.Um minuto de silêncio para escutarmos os lamentos que sufocam nossa liberdade.Lamentar as vezes é o único meio que muitos encontram para anestesiar a dor que ulcera a alma.A vida é tão complexa que nem mesmo nós,os seres viventes e pensantes,não conseguimos decifrá-la por completo.Entendemos a vida pelas bordas,as linhas franzinas que aquecem um pouco esse frio glacial chamado interrogação.As dúvidas são como escaravelhos consumindo o papiro ou as dunas que cobrem as casas.Interrogativas sempre ceifam nossa Paz.E nesse ano elas quase levaram minha decência.Que seria das minhas palavras se eu não as vivesse por completo?seriam apenas pontos suspeitos de mim.E eu abri mão de muitas delas para poder usufruir de outras(no período que deletei meus blogs)ou quando mudei de curso.Somos muito jovens.Imaturos demais para trilhar um deserto sem água.Consumidos pelo calor latente que resseca nossa esperança.Vi muitos desistirem ou pagarem como estrelas que morrem a anos luz de distância.E outros resplandecerem como uma explosão solar.Reconhecer-me nessa galáxia é o mais intrigante dos mistérios.Compreender-se é o que buscamos até virarmos pó.E estou me descobrindo,me decifrando,solucionando um mistério que fascina minha imaginação desde que percebi-me um ser no mundo.Muitos desistem desse desnudamento.Foi assim que resolvi chamar esse processo,desnudamento.Quando o ser percebi-se nu e sem envoltos influências externas.Quando ele descobri que ele realmente é para assim perceber o que o atrai e o que o enoja.Uma jornada que todos deveríamos trilhar,invariavelmente.Seja na infância ou juventude,quando os cabelos estiverem caindo ou mesmo quando não restarem mais.Independente do tempo o importante é saber o motivo de estar respirando.Aquilo que te impulsiona a levantar todas as manhãs e continuar marchando.A sorrir em momentos de alegria,a suportar as dores e lutar por melhores dias.Esse pensamento de descobrimento é o causador daqueles que cumpriram ou cumpriram seu propósito no mundo.E o seu propósito é aquilo que reflete a sua essência,ao que somos de fato.Deus mostrou-me a cada dia desse ano o que realmente sou,e me deu nas mãos a escolha.Não acredite que o livre arbítrio é apenas uma desculpa,não,definitivamente não.Ele é um ato de amor.Só provamos amar realmente alguém quando permitimos que ele escolha o que realmente quer.Seja bom ou ruim.Todos temos direitos de escolha,podendo a mesma nos levar a decepção,e até com isso será um aprendizado.Mas a nossa escolha,não pode estar condicionada a opinião de outrem.Mas sim a análise do que queremos e a vontade puro e honesta do que Deus quer para nós.E o que Deus quer para nós?essa é uma pergunta de decifro todos os minutos.Pois não compreendermos o que queremos quanto mais a vontade de Deus.Nesse ano Deus me permitiu amadurecer o bastante para me encontrar.Saber o que realmente espero da vida,o que sou e o que atrai minha personalidade.Mas tudo isso eu já pensava saber antes.Só que faltava algo.Em vão eu busquei respostas apenas no meu ego desfigurado.E não na essência.Pois quando você é um escolhido sua essência está escondida em Deus.Ele é a resposta para tudo.Só não encontramos a resposta certa para muitas coisas,porque estamos olhando para o lugar errado.Não é olhando para seu ego para  o seu eu.Há uma grande diferença entre você e você mesmo.Ao olharmos para quem somos de verdade,sem a opinião da sociedade,das pessoas do sistema da religião e fixamos nossa atenção pra a simplicidade de Deus agindo em nossa vida;poderemos entender quem realmente somos.Longe de qualquer gosto ou afeição,distante dos livros e de tudo.Só você e Deus.E esses momentos que foram tão fortes esse ano,mostraram-me sem sombra de indagações como eu realmente sou e o que quero me tornar.Isso é tão real que quando me desapego de tudo isso,eu percebo o quanto minha vida é vazia sem Deus.E como preciso dele para tudo.Hoje posso dizer que busco a Deus e o amo não pela influência de outras pessoas ou para acalentar minha consciência.Mas para manter-me VIVA.Porque ele é o mais puro ar que mantém meu corpo funcionando.A água que sacia a secura em mim.O sentido que encontro para saber quem sou nesse mundo.A rocha que eu firmo as minhas certezas e aspirações.Posso afirmar alegremente que hoje sou uma pessoa verdadeiramente Feliz.Pois chorando ou sorrindo,sei que existe um Deus que cuidará de mim,para sempre.

Um comentário:

Alexandre Lucio Fernandes disse...

Este teu texto é imensamente bonito, porque nos remete uma reflexão intensa. É acima de tudo um passeio ao mais íntimo de nós, porque nos ajuda a descobrir mais do que nos cerca. O autoconhecimento, esta busca perseverante em decifrarmos os segredos em nós é uma aventura emocionante, capaz de nos transformarmos. É algo inerente à todos, e ajuda a elucidar muito das nossas questões internas, estas de existência e sobrevivência.

Deus é o companheiro fiel, o que sempre nos impulsiona. O nosso alicerce, o sustento da alma. A força que mesmo tão imensa, consegue habitar em nós. Chorando ou sorrindo, ele estará sempre conosco, a nos cuidar, a nos orientar e proteger.

Belíssimo texto!

Beijos!