15 de out de 2011


Resolvi criar esse selo para demonstrar meu carinho por esse blog.Pertenceram-me outros blogs,mas eles dissiparam-se com o tempo.Talvez não fossem remanescentes,não pertencessem a mim de fato.Com o tempo eu passei a buscar inspirações longe de meus próprios horizontes;e tudo foi tornando-se névoa,dessas que embaçam a visão e silenciam as palavras.Decidi excluir e agora navego em um novo veleiro,talvez uma gôndola antiga nas águas esverdeadas da velha Veneza.Mas cá estou,cheia de ar nos pulmões e novas respirações.Percebi que para produzir palavras honestas é preciso reconhecer-se por princípio.Caso isso não aconteça,estaremos sempre a mercê das desvairadas manias de ser uma cópia.A personalidade de cada ser está condicionada com os parâmetros que o mesmo escolhe para se definir.Escolhi mesclar entre as coisas que me deslumbram,para que meus versos sejam mais vivos e firmes;e não efêmeros como as emoções.Que meus dedos não pequem em transcrever os sentimentos que ainda não se tornaram parte de mim.Para que eu não me torne um sopro no oceano,uma neblina sombria,ou um verso sem conteúdo.Espero suavemente que meus leitores sejam de fato leitores.Que não venham simplesmente escrever palavras brandas e ocas de sentimento.Sou uma alma intuitiva e calorosa,dessas que trafegam luminescentes nas noites silenciosas e rubras.Então me vale mais palavras curtas e sinceras,que elogios colossais,mas escasso de honestidade.Farei tudo diferentemente distinto do que fiz antes.Seguirei apenas os blogs que de fato leio e admiro,oferecerei meu selo aqueles que de fato fascinam minhas pálpebras.Admito que sou inconstante,mas busco a constância na simplicidade dos atos mais concisos.
Um caloroso abraço e um adeus breve,daqueles que deixam uma fragrância de hortelã no ar.

Um comentário:

Alexandre Fernandes disse...

Bonito! Acho que se conhecemos melhor o território da qual andamos, as palavras soam mais honestas sim. Fica deveras mais fácil pincelar os sentimentos em forma de palavras. Acho que o ideal é isso, conseguirmos atrelar nossa pele com a nossa alma, e conseguir juntar espírito e carne. Para que dessa junção possamos dar à luz a verdadeiras luzes íntimas. Pedaços sensíveis de nós. É este mesclar com o que nos rodeia que nos torna únicos. Que o que fazemos se torna especial e característico.

Ter isto não tem preço.

E poder seguir e ler o teu blog também não...

=)

Tammy, meu muito obrigado pelas palavras lindíssimas, deixadas no meu horizonte. Fiquei honradíssimo com tamanho carinho. Nem sou merecedor de tanto. Agradeço de coração o afeto deixado, as palavras pintadas com a tua alma. Senti-las muito reais. Obrigado mesmo! Volte sempre! E se for para deixar encantos como aqueles, é mais que um pedido, mas uma intimação (risos).

Te cuida. Fica com Deus!