27 de fev de 2013

Quietude


A minh'alma quieta está esperando pelo seu sopro.
Suave como um vento manso a sacudir toda a poeira arraigada em meus nervos.
Sua brandura irradia meus poros e clareia cada lugar inóspito.
Teus versos escritos em palavra antiga iluminam o meu Caminho.
E sua voz indelével me adorna de cores, brisa e satisfação.
Estar contigo é como estar flutuando num céu completamente azul.
Voando como uma andorinha a sentir o vento eriçar as asas esbranquiçadas.
Seu amor me cura completamente, limpa meu corpo e me oxigena.
Quieta está a minh'alma esperando por sua presença, querido Mestre.
Leva-me para as águas puras, e me faz repousar durante a tempestade.

Um comentário:

Karine Maciel disse...

"A minh'alma quieta está esperando pelo seu sopro."
Esperar... As vezes dói taaanto! Mas,quem espero em/por Deus não espera em vão!
Lindo *-*