17 de fev de 2013

Quando ele te esqueceu.

200071_343061482468723_260444837_n_large

Uma simples luminária guiava meus dedos sonolentos no escuro. Nada parecia suficientemente agradável e cada papel jogado no lixo somava um milhão de emoções desperdiçadas. Não conseguia aceitar a dor que se estendia em meus olhos pela ausência de afeto. Tantas palavras soltas pela rua e nada restou de concreto. O poeta que me entregou rosas escarlates embarcou no primeiro navio para o Sul. Senti o gelo cortando cada sentimento e como estilhaços eles derreteram no chão quente do asfalto. O amor que eu dizia sentir era honesto e não havia rancor nas palavras que escrevi naquele dia de solidão. Meu amor por você ficou resfriado por ficar sempre na chuva, esperando uma iniciativa sua em abrir a porta e convidar-me para o chá. A sensação mais angustiante disso é desejar escrever um milhão de versos acerca da ternura que sinto por você, e me dói profundamente ter que silenciar cada palavra pela falta de afeto seu pelas minhas declarações apaixonadas. Eu costumava escutar músicas lentas que falavam de amor de um modo poético e afetuoso. Os livros eram mais cheios de inspiração e cada poesia criada era feita de sinceridade e delicadeza. Mas quando o poeta partiu eu apenas acenei tristemente na baía e derramei algumas lágrimas. Fingi não sentir falta. Deixei o choro camuflado e a face continuou dourada. Depois tratei de rasgar cada carta não enviada, cada verso incompleto que se perdeu para sempre pela casa, todas as súplicas e aforismos que costumava proferir em dias frios. Acho que lamentei mais a falta de vontade por escrever que a ausência dos seus olhos me observando. Quando ele me esqueceu eu ainda estava perdidamente encontrada na suntuosidade daquele sorriso. E para desapegar-me completamente ainda me custará algumas horas. Ainda é cedo para queimar todos os papeis pela sala. Nesse instante escrevo em conflito com cada sentimento ainda carente, existente. Sinto cada pedaço que se desfez. E remendá-los seria um erro, dar fim em cada um deles é o único meio de ver a vida com olhos mais apaixonados. Mais amor por favor, porque meu coração está quebrado demais para aguentar mais solidão.

Nenhum comentário: