23 de jan de 2013

Singela Monotonia.


Era uma manhã doce de domingo. A luz amena adentrava no quarto azul com uma sutileza maravilhosa, tudo em nós era azul como aquelas paredes antigas. Até o ar estava respirável, tinha um aroma diferente, talvez fosse as violetas que minha irmã colheu antes do alvorecer. Meu vestido caiu perfeitamente no meu delicado corpo e naquele momento a vida pareceu ter sentido. Sorríamos como se estivéssemos comendo morangos com chantili, mas com aquele gostinho de saciedade se manifestando a cada mordiscada. O motivo da alegria estava na simples arte do cotidiano feliz. Não estávamos amando nenhum moçoilo, muito menos sendo amadas por algum deles. Talvez fosse esse o motivo da festança. A alegria que nasce do amor fraterno, dos sorrisos singelos e das frutas doces do pomar. Das coisas simples que estão sempre a nossa espera, do beija flor voando na janela, do cheirinho de bolo vindo da cozinha numa tarde comum. Estávamos alegres por estarmos libertas. Sem medo do dia seguinte, sem perspectiva ou ansiedade. Pela simples arte de viver a monotonia, essa que está em cada parte do nosso lar. Nas mãos de quem nos abraça, no aconchego de um suco gelado, no toque cuidadoso de alguém que penteia o nosso cabelo como se estivesse a tocar uma seda da China. Um bom livro escolhido na biblioteca do pai, um jogo divertido com os vizinhos após o jantar. Conversas distraídas na hora da sesta e um passeio com as estrelas no findar da aurora. Há tanta vida aqui dentro, e as vezes buscamos tudo lá fora. O tempo passa devagar na cadeira de balanço da vovó, e no colo da mãe enquanto a dor não vai embora. 




2 comentários:

Ana Paula disse...

Agorinha mesmo à tarde passei por um casa de fachada azul e dois enormes vasos azuis na entrada. Acho que poderia ser como esta tua linda descrição.
Adorei. Beijo

Marcelle Pires disse...

interessante o que escrevestes e nao consigo nao elogiar
serio vc escreve muito bonito
realmente o que vc falou é um fato pra mim ou talvez seja a minha interpretação intensa
hauhsuahsuahsuahsuahushaushuash
nós as vezes damos mais valor ao amor de homem e mulher do que aquele amor fraternal que é o primeiro amor que a ngt tem na vida

radiopires.blogspot.com