16 de dez de 2011

Enquanto houver vida recordarei.

Tumblr_lu8er567f41r15v1eo1_500_large
A xícara de café era o meu bem mais precioso desde que Ana me deixou.Aquela xícara foi a última coisa que tocou os lábios da minha esposa e eu não conseguia parar de olhar aquele tosco objeto.Era velho e inacabado,mas era o preferido dela.Quantas manhãs maravilhosas aquela xícara nos serviu e beijou os lábios da minha Ana.Lábios que fugiram dos meus,boca que beijei tantas vezes e hoje é apenas recordação.Tentei fugir aos poucos,sem causar ruptura na imagem que eu tentava preservar.Mas eu sou apenas um velho apaixonado por uma moribunda.Esqueço dos remédios e das horas,mas não posso perder as lembranças;pois elas me mantém acordado a noite inteira.Ana foi meu néctar,meu elixir da felicidade.Foi minha âncora que fixava meus pés no chão quando eu queria voar,e minhas asas quando eu não acreditava mais em anjos.E quando os corvos e gafanhotos vieram ela foi a chuva,regando as esperanças que estavam murchas em minha alma,espantando meus medos e receios.E agora ela não está para saciar meu deserto.Estou adormecido nesse corpo ancião,''porque o silêncio e a imobilidade foram dois dos jeitos menos dolorosos que encontrei'' para diminuir a dor de sua ausência.Eu descia as escadas e lá estava a minha vida,aprisionada em fotografias antigas com nossos amigos e familiares.Ela era minha vida,e atualmente eu só respiro porque Deus ainda me mantém aqui.O que fazer para silenciar os gritos que ecoam desesperadamente todos os dias em meus ouvidos?nada.Apenas acordar e comer a velha comida de sempre.Olhar a xícara imunda na ponta da mesa,assistir os programas inúteis da televisão.Estou velho,mas não morto.E sinto falta do calor da minha mulher.Daqueles braços franzinos e flácidos que me abraçavam todos as noites.Daqueles olhos discretos que timidamente dominaram minha vida por todo o sempre.Leiloei meus espólios,mas não vendi o apartamento.Nosso quarto continuava intacto.As roupas que ela dobrou antes de partir e as cartas que escrevemos desde os tempos de valsa.Ana,minha doce Ana.Eram as simples e sinceras palavras que introduziam uma carta antiga.A carta em que declarei meu amor por ela.Não lembro da minha vida antes daquelas palavras,pois a partir daquele momento minha vida se tornou a vida de Ana.E o meu legado está escondido nos frutos do nosso enlace.As sementes que um dia plantamos debaixo de laranjais.Vez por outra nossos filhos nos visitam e contam como estão felizes ou deprimidos.E são nesses encontros que reconheço a minha vida.Pois sou velho,e o inacabado faz parte de mim.Todavia,ainda estou vivo para manter minha amada existindo em minhas perfeitas recordações.
                                      11ª EDIÇÃO INSPIRAÇÃO
                                             
Como essa história de ficção alegrou meu coração.Isso realmente me animou interiormente e estou agradecida a Deus por ter me ajudado a escrevê-la.Trata-se de um amor profundo e maduro,que mesmo a morte e a decrepitude não sepultaram sua existência.Esse amor é o que procuro.Um amor que transforme minha vida completamente.Um abraço a todos Vocês.

6 comentários:

Pedacinhos de mim disse...

Entrei no meu blog e deparei-me com um comentário bastante agradável, muito bom de se ler. Depois de tudo isso vim aqui até ao seu cantinho e me rendi com as palavras, com o amor que elas transmitem. Nada melhor que o amor para nos mudar o mundo, para nos fazer sonhar, para nos fazer lutar pela felicidade que tanto queremos viver. É muito bom saber que o seu motivo para escrever é o amor porque o meu também o é, sei que sem ele jamais conseguiria viver e engane-se quem pensa que vive sem amor porque não vive apenas sobrevive. A sua forma de escrever é encantadora e este blog é muito familiar para mim. Gostei muito irei passar por aqui mais vezes certamente. Um Beijo :)*

Anônimo disse...

....MUITO lindoo esse texto..aliás, tudo q vc faz é muito bonito.Deus te deu um dom Maravilhoso, e vc sabe muito bem como usá-lo..e lembra:quando vc tiver dando autógrafos na festa de lançamento do seu livro, eu estarei láá sendo o primeiro da fila...amoOo bff..Jander

Anônimo disse...

sua linda, eu amo o dom que Deus te deu amiga, *-* minha nega é tão sábia te amo muito gostei bastante do blog. tua cara mesmo, sempre kk. ♥
Larissa Mendes.

Clarisse Cunha disse...

Oiee Tamires, tudo bem? Sou a Clarisse do LFM, estou aqui para agradecer seus lindos comentários lá no blog, minha felicidade não tem tamanho!
Gosto muito quando pessoas como vc deixam um recadinho lindo e comentando o que achou de bom ou ruim nos filmes que viram ou nos livros que leram.
Muito obrigada e seja muito bem vinda quando quiser tá.
Sei que não tenho atualizado o blog mas sempre tem coisas novas por lá. Ando um pouco ocupada com meu trabalho mas em breve o blog volta ao normal. Ahh e pode me chamar de Lisse se quiser.

Táh, eu amei seu blog sabia??
Adoro escritas intensas assim. Vc tem muita sensibilidade, uma qualidade que aprecio muito; acho que muitas pessoas perderam isso com o passar do tempo.

ADOREI seu comentário: "Esse amor é o que procuro.Um amor que transforme minha vida completamente."
Super concordo com vc, e então somos duas. Procuro a mesma coisa. Esses dias li uma frase assim: "Não quero alguém que me complete pois tenho que completar a mim mesma; quero alguém que me transborde". E é muito verdade! Acho que vc vai gostar de refletir sobre isso.

Seu conto foi magnífico. Espero ler muito mais do que escreve aqui.
E ahhh, também tenho um blog assim, não tão lindo quanto o seu, mas se quiser dê uma olhadinha: www.meuamorseuamor.blogspot.com

Beijokas e até a próxima.

Da Lisse

Luzia Medeiros disse...

Olá Tamires, quanto sentimento em tuas palavras. Quem não espera um amor assim, verdadeiros, que nos enche de vida e que nem a morte o destrói.
Beijos, suas palavras me tocaram profundamente.

Karine Maciel disse...

Eu simplesmente amo o jeito que você escreve. O jeito que usa as palavras,o jeito que empresta seus sentimentos pra elas.
É sempre um prazer vir aqui :D