19 de nov de 2011

Borboletas íntimas.

Alguns corpos possuem a proeza de ter borboletas no estômago.Gosto de borboletas.Elas guardam em suas asas a delicadeza que deveria estar presente em nossa alma.Sou apaixonada pelo seu voo,sua beleza e mistério.Talvez eu as inveje por serem feias por pouco tempo e depois se tornarem formosas e intrigantes.E claro,elas podem voar para onde bem quiserem,sem precisar de permissão ou dinheiro para o ônibus.São frágeis ao seu modo e sublimes à sua forma.Depois desfalecem,mas usufruíram lindamente dos poucos dias de vida.Diferentemente de nós,mesmo com pouco tempo não fazemos tantas coisas belas,elas se tornaram bregas aos olhos dessa sociedade canibal(pois come seus próprios valores e sadicamente se diz ética).Mas eu sou dessas almas que guardam borboletas em si.E elas voam sem rumo,brincando umas com as outras quando estou feliz,boba e apaixonada.Todavia,quando estou pálida e chuvosa elas simplesmente desaparecem.Como hoje,eu não as sinto.Para que me servem se quando estou cinzenta elas fogem?para que servem os amigos se quando a chuva cai eles não trazem guarda chuva?Nessas horas só Deus para enxugar as lágrimas.Um belo dia elas retornam,quem sabe amanhã ou terça feira?Provavelmente em um dia de ceu azul bebê propício para seu voo majestoso e enigmático.

Nenhum comentário: