22 de fev de 2013

Obtuso.


Porque perto dele o meu sorriso era menos obtuso.
Meu jeito desonesto de ser feliz era insultado pela doçura dele.
Os livros silenciosas abriam um sorriso enorme quando ele os lia para mim perto da lareira.
Aquele calor que só os apaixonados sentem aquecendo o frio, e no fundo não resta dúvidas:
era amor e eu nem notei.
Ficou pendurado na parede da sala o quadro que ele me deu, e eu nem reparei nas flores.
Ele me ensinou alguns passos de tango, me abraçou quando senti calafrio e foi embora como um bom rapaz da marinha.
Talvez o oceano me traga um pouco de ar.
Sua respiração em cada baforada de uma linda jubarte.
Eram dias azuis e eu não vesti meu melhor vestido.
Tão óbvio seria se eu o amasse, mas esqueci de guardar os melhores anseios.
Me restou a quietude e a maré quase adormecida.
Um sorriso sincero para celebrar o amor que vive dentro da gente e nem sabemos...

5 comentários:

Sofia Teixeira disse...

Como é lindo esse texto, e bastante realista, pois essas situações são comuns em muitos seres humanos.

Um grande beijo,
Sofia :)

Vitória disse...

Que belas palavras, Tammy! Às vezes estamos tão encantados com a magia do momento que nem percebemos o que tudo significa... amor♥
Beijos querida;3

http://menina-do-sol.blogspot.com.br/

Agostinho Barros disse...

fico feliz , por encontrares inspiração no meu blog. O teu também inspira-me muito **.Continua com o bom trabalho :D

Karine Maciel disse...

"Porque perto dele o meu sorriso era menos obtuso."
Tão bom encontrar alguém que faz com que nos sintamos assim...
Tão maravilhoso quanto o amor é ler essas belas palavras <3
Adorei,Tammy ^^

Scarlat Assunção disse...

a gente tem mesmo é que se entregar! (:

palavras lindas (: