7 de jul de 2012

Silêncio.


Receio que essas sejam as últimas palavras que escreverei para você,até que me venha novamente a velha ânsia de tocar seu rosto com cada letra que componho nesse simplório devaneio.Quem dera eu não ser assim tão apegada ao calor,pois o frio cortante me desfaz a cada instante longe dos seus braços.Eu sempre me envolvo demais enquanto o outro se distancia a cada percurso caminhado.Em vão lhe ofereci meu coração.Não soube tratá-lo como ele desejava ser cuidado,nem ao menos teve a cautela de mantê-lo como o encontrou.Mas agradeço por me ensinar a ser uma moça resistente.Como um bom mestre me mostrou como é brando o silencio,e como ele nos ensina grandes lições com tão poucas palavras.Enquanto pensava em você naquele quarto,aprendi a sentir as mais dolorosas emoções na companhia das paredes mudas.E mesmo quando estavas ao meu lado,consegui guardar para mim todas as penúrias que passei em sua ausência.Uma boa moça fui ao me encantar pela acinzentada cor das suas pupilas escondidas na ensolarada íris de seus olhos.Não houve um só dia que eu não pensasse em você desde aquele inesquecível instante em que me deparei com sua face introspectiva.Mas o sopro do vento levou as últimas cinzas da fogueira que mantinha acesa a chama do nosso enlace.Frágil enlace,tão prematuro em suas promessas não cumpridas,tão escasso de sinceridade em sua formosura.Peço que me esqueças,e só lembres de mim como uma boa amiga que está sempre disposta a escutar os seu desabafo.No fundo eu sei que sou apenas isso.Uma tola governanta a espera de um lord que nunca chegará para resgatá-la de seu infortúnio.Fique onde está,a água está quieta e não há motivos para ficar.Foi intenso enquanto conto de fadas,e estático enquanto fato.Desejo a você o melhor,e sei que desejas o mesmo para mim.Bons amigos seria exagero,mas ao menos amigos podemos ser.Como escrevi antes,o nosso coração se acostuma com tudo,e já estou adaptada a todo esse silêncio.Até gosto,e quando há algum ruído logo me vem uma ânsia de estar em pleno silêncio.Não espero mais por você,nem olho para a porta quando alguém chega,especulando que seja você.Mas meus dedos ainda estão trêmulos e  insistem em tocar os tolos números que te chamam em vão.Estou bem,e quero permanecer assim,em silêncio.

Um comentário:

Lylu P. disse...

Oie...
Tudo bom?
Nossa que lindo o texto... Amei...

Adorei seu blog... Já estou seguindo...
Depois dá uma passadinha no meu para conhecer e se puder segui-lo ficarei muito grata... Relíquias da Lylu =D
http://reliquiasdalylu.blogspot.com.br