4 de nov de 2011

Aquele olhar.


E quando ele me olhou daquela maneira eu senti que a lua estava prestes a colidir com meu coração.
Seus olhos eram ardentes,e eles queimavam,incendiando-me como fagulhas numa fogueira crepitante.
Ateando fogo aos meus preconceitos,acendendo uma faísca numa imensidão de pólvora.
Fitou-me por alguns segundos,mas cativou meus elos internos e ateou fogo em todos eles.
Nunca vi esses olhos antes,eram lilases e cintilavam como púrpura vívida.
Seu nome,suas cicatrizes ainda são um mistério;e como eu amo mistérios.
Desses que me fazem roer as unhas até alcançar o céu das estrelas.
Daqueles desvairados romances que nunca chegam a ser vividos,mas especulados.
Sua face,esse jeito distinto de andar.Sua pele banhada pelo sol tardio e esses olhos...como eu os amo.
Em meus sonhos você apareceu como um conhecido,desses que amamos em secreto.
E todas as tardes eu procuro suas pupilas pela  rua...variavelmente,te encontro,assim perdido,sorrateiro,como um caleiro andante sem alazão...caminhando de pés descalços.
És meus mistério intrigante,só meu.

Um comentário:

Desa disse...

Aiin primaa, como eu amo essas pupilas azuis. Adoro olhar profundamente pra esse mar tempestuoso kk Sr.Darcy! lindo